Depois de longo e tenebroso, é com alegria que trazemos ao leitor nossa edição de número 42,  que vem ao ar com o ano de 2012 já batendo à porta. Impressionante como passa rápido: são quase seis anos, quarenta e duas edições e, com a cobertura que certamente faremos da 15a Mostra de Cinema de Tiradentes, que acontecerá em janeiro próximo, chegaremos à marca de cinquenta coberturas de Mostras e Festivais.  Isso tudo para dizer que, com todas as dificuldades e a despeito do que já pudemos realizar, a vontade é de sempre fazermos mais, irmos a mais festivais, diminuirmos o intervalo entre uma edição e outra, tirarmos da gaveta diversos planos, desejos, vontades e tais e quais. 

O fato é que, se terminamos o 2011 algo frustrados em nossas sempre altas expectativas, para 2012 elas não deixarão de ser as melhores e as maiores possíveis: se há algo que viemos aprendendo nesses anos é que a reinvenção é inerente a uma publicação como Filmes Polvo. E assim continuará sendo. Dito isso, convidamos os leitores a percorrerem a variada gama de textos que compõe esta edição, que tem a sensação Drive como capa e textos que falam da obra de M. Night Shyamalan, diversos curtas e longas brasileiros, Árvore da Vida, Missão Madrin...

 

Leia na Integra

"Drive", de Nicolas Winding Refn